Regulatory Use of Legal Entity Identifiers (LEI ROC) - LEI Portugal
A partir de 3 de janeiro de 2018, os LEIs são obrigatórios para todas as empresas que desejam continuar comprar ou vender valores mobiliários.

A fiabilidade dos LEIs legíveis por máquina nas transações corporativas

LEI Portugal - LEI máquina

A fiabilidade dos LEIs legíveis por máquina nas transações corporativas


A Fundação Global LEI (GLEIF) proporcionou-nos um vislumbre do que está para vir. O código alfanumérico LEI desta organização foi incorporado no seu relatório financeiro de 2018. Foi o primeiro relatório oficial de negócios a incorporar dados de referência LEI certificados, publicados com a versão eletrónica do documento.

O relatório foi também publicado com as assinaturas incorporadas dos diretores executivos da GLEIF. Estas assinaturas podem ser usadas para verificar se o documento que contém o LEI legível por máquina e os signatários são da mesma empresa. Tal proporciona garantias aos utilizadores finais das informações de que os dados são fiáveis, publicados pela empresa em questão, e que não foram adulterados.

As demonstrações financeiras podem também ser publicadas com a assinatura do auditor, acentuando ainda mais a certeza e a confiança.

As informações são incorporadas usando a tecnologia XRBL. A XRBL é o padrão internacional para relatórios digitais de negócios. Esta tecnologia é atualmente usada em mais de 50 países de todo o mundo. A XRBL descreve a tecnologia como semelhante à “mudança da fotografia de película para a fotografia digital, ou de mapas em papel para mapas digitais”. No contexto dos documentos XBRL Standard, estes são capazes de tudo que os documentos em papel e PDF podem fazer, mas abrem também uma série de novas possibilidades. Permitem que dados financeiros confidenciais sejam rapidamente partilhados, de forma que os utilizadores finais possam validar a informação partilhada a cada etapa do processo.

A GLEIF está a trabalhar no sentido de “revolucionar o processo de publicação, acesso e compilação de informações financeiras digitais fiáveis”, ao mesmo tempo que solidifica ainda mais o estatuto do LEI como um mecanismo com benefícios tangíveis para o mercado financeiro global. A revolução comporta enormes benefícios para:

  • As empresas que usam os LEIs incorporados. Permite que estas publiquem e partilhem dados que foram assinados eletronicamente por membros relevantes.
  • Os acionistas, que podem obter uma melhor compreensão das empresas tendo por base dados fiáveis ​​que são mais facilmente acessíveis.
  • Autoridades e Bancos que necessitam de recolher e avaliar dados fidedignos ​​das empresas.

Para além destes benefícios, existem amplas vantagens nos LEIs de leitura automática incorporados nos documentos da empresa para os participantes do mercado financeiro:

  • Maior confiança nos documentos publicados e distribuídos digitalmente
  • Maior acesso a informações sobre quem é o proprietário da empresa
  • Reduções adicionais no que concerne a fraude

A GLEIF está a trabalhar com a Organização Internacional de Normalização (ISO) para tornar a assinatura digital com recurso ao LEI exclusivo da empresa disponível para as empresas que subscreveram os mesmos.